M

Seguidores


♪ Músicas online grátis! Acesse: www.powermusics.com

Câmera

Borboleta

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Alguns Milagres de Santo Antônio

Alguns milagres:
Santo Antônio o "Santo dos Milagres". Iniciada em vida com uma pluralidade de milagres que lhe valeram a canonização em menos de um ano, é, na história da Igreja, a mais vasta e variada.

De Santo “casamenteiro”, “restituidor do desaparecido”, passando por "livrador" das tentações demoníacas, a Santo Antônio tudo se pede. Citaremos abaixo alguns dos milagres operados por esse santo.
Santo Antonio prega aos peixes. Reza a lenda que estando a pregar aos hereges em Rimini, estes não o quiseram escutar e viraram-lhe as costas. Sem desanimar, Santo Antônio vai até à beira da água, onde o rio conflui com o mar, e chama os peixes a escutá-lo, já que os homens não o querem ouvir. Dá-se então o milagre: multidões de peixes aproximam-se com a cabeça fora de água em atitude de escuta. Os hereges ficaram tão impressionados que logo se converteram. Este milagre encontra-se citado por diversos autores, tendo sido mesmo objeto de um sermão do Padre Antônio Vieira que é considerado uma das obras-primas da literatura portuguesa.

Santo Antônio livra o pai da forca. Tinha havido um crime de morte em Portugal, onde nascera Santo Antônio. Todas as suspeitas do crime recaíam sobre o pai do santo.
Chegou o dia do julgamento. Os juízes estavam reunidos para proferir a sentença condenatória. Assentado ali no banco dos réus, seu pai não podia se defender.
Nesse momento Santo Antônio estava fazendo um sermão numa igreja da Itália. Conta-se que, em dado instante, ele interrompeu o sermão e ficou imóvel, como se estivesse dormindo em pé. Durante esse mesmo tempo foi visto na sala do júri, em Portugal, conversando com os juízes. Entre outras coisas, disse-Ihes o santo: Por que tanta precipitação? Posso provar a inocência do meu pai. Venham comigo até o cemitério.
Aceitaram o convite. Frei Antônio mandou abrir a cova do homem assassinado e perguntou ao defunto: "Meu irmão, diga perante todos, se foi meu pai quem matou você". Para espanto dos juízes e de todos que ali estavam, o defunto abriu a boca e disse devagar, como se estivesse medindo as palavras: "Não foi Martinho de Bulhões quem me matou". E tornou a calar-se. Estava provada de maneira milagrosa a inocência do seu pai. Mais uma vez a verdade triunfou sobre a mentira e a calúnia.

Operou-se aí dois fatos milagrosos, a bilocação, ou ato de uma pessoa estar (por milagre) em dois locais ao mesmo tempo, e o poder de reanimar os mortos.

Com o Menino Jesus nos braços: Outro milagre, também reportado na crônica do Santo, ocorre já no fim da sua vida e foi contado pelo conde Tiso aos confrades de Santo Antônio após sua morte. Estando o Santo em casa do conde Tiso, em Camposampiero, recolhido num quarto em oração, o conde, curioso, espreita pelas frinchas de uma porta a atitude de Frei Antônio; depara-se então uma cena miraculosa: a Virgem Maria entrega o Menino Jesus nos braços de Santo Antônio. O menino tendo os bracinhos enlaçados ao redor do pescoço do frade conversava com ele amigavelmente, arrebatando-o em doce contemplação. Sentindo-se observado, faz conde Tiso jurar que só contaria o visto após a sua morte.


IGREJA DE SANTO ANTÔNIO


Igreja de Santo Antônio, Partenon

A Igreja de Santo Antônio é uma igreja católica localizada no bairro Partenon em Porto Alegre-RS. Ela nasce em volta de uma capela que era dedicada ao santo.
No dia 16 de maio de 1876 a pedra fundamental  foi lançada. Sua inauguração ocorreu no Natal de 1881.
A Paróquia foi criada em 30 de agosto de 1911. O primeiro pároco da mesma foi Frei Bernardin d’Apremont. Em 1928 a capela é demolida para a construção de um templo maior. A construção iniciou-se em 17 de julho de 1928 e sua conclusão deu-se no ano de 1934.
O templo encontra-se aberto durante toda a semana. Os mais diversos fiéis e devotos de Santo Antonio são acolhidos no templo em sua homenagem. São celebradas seis missas onde são abençoados os pãezinhos de Santo Antonio e distribuídos entre os fiéis, nos dias 13 de cada mês.

Na Paróquia encontra-se a tumba do Frei Antônio de Caxias (1892-1987). É uma figura conhecida na paróquia por seu zelo apostólico e benevolência. Muitas curas lhe são atribuídas. Os devotos depositam ali seus agradecimentos por graças alcançadas com o intermédio do Frei Antonio.

SANTO ANTÔNIO

Seu padroeiro Santo Antonio de Pádua, também conhecido como Santo Antônio de Lisboa teve seu nascimento em Lisboa no ano de 1195. Seu nome de batismo era Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo. São Francisco de Assis é seu contemporâneo.
Até os seus vinte e cinco anos de idade, Santo Antônio foi cônego regular em Portugal. Após a noticia de que cinco franciscanos tinham sido martirizados em Marrocos por conta da tentativa de evangelizar infiéis, Santo Antonio toma a decisão de se tornar também um missionário.
Entra para a ordem dos frades franciscanos sendo enviado em seguida para trabalhar entre os muçulmanos Marrocos, os mesmos que de certa foram lhe serviram de motivação para se tornar frade.
Retorna à Europa por conta de problemas de saúde. Permaneceu em um eremitério na Itália. Ocupa vários cargos durante esse período e realiza pregações nos locais onde a heresia tinha presença forte.
Em 1231 foi acometido por uma grave doença. Falece no dia 13 dia junho aos 36 anos em Arcella. Em 30 de maio de 1232 Santo Antonio é canonizado por Gregório IX.
É conhecido como o “Santo Casamenteiro” possui muita popularidade, especialmente nos países latinos. O dia da sua morte é conhecida como “o dia de Santo Antonio.”